segunda-feira, 2 de março de 2009

Fantasia



Vivendo sob nossas oscilações
Nos inundamos em tantas emoções
Rimos, choramos, cantamos e emudecemos nossa canção
Erramos, acertamos, somos herói e também somos vilão

O Principe fantasiado pela Princesa sobre um cavalo branco
Trabalhando duro, persistente, dentro de um onibus urbano
Reais fantasias em falsas e frágeis realidades
Realidades cruéis fantasiadas com verdadeiras beldades

Pessoas buscam fantasia, mas de realidade é o que precisam
É o recordar das palavras de Carlos Drummond de Andrade
"Viver não dói. O que dói é a vida que não se vive."

Me aposento da fantasia para viver a vida
Em toda a sua beleza e crueldade
Em suas farturas e adversidades

Me aposento das fantasias, mas não dos sonhos
Dos quais sonhamos mesmo acordado
Os quais movem minha vida e dão forma ao meu mundo
Que me transformam e me encorajam a seguir cada segundo


Numa busca do equilibrio entre fantasia e realidade
Buscando o beijo entre o sonho e a verdade
Trocamos os amores por nossos medos
Ocultando verdades em nossos segredos

4 comentários:

João Romova disse...

esse ficou muito bom. Você leva jeito... mesmo que essa opinião seja de um desajeitado heheh

Keaves disse...

Ô João! Valeu cara. Vindo de vc, que eu considero um poeta nato, significa mto! Adoro seus textos!

Dra. Repolha disse...

Olá! Bom encontrar meu texto por aqui!

Gostei do blog! ;)

Keaves disse...

Dra Repolha!
Muito bom o seu blog! Volta a meia tenho acompanhado e me deliciado com seus textos tb!
Fico emocionado de ver vc acompanhando meu blog!rs
Abraços!